O SINDSEMP deflagra greve geral no município de Petrolina.

Foto0237

PETROLINA – Desde ontem, 20/03, o Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina, Sindsemp, deflagrou greve geral por tempo indeterminado, a fim de pressionar o governo local pela aplicação imediata da data base de reajuste salarial, cumprimento do plano de cargo e salários, e aumento real no vencimento dos servidores com data retroativa a janeiro de 2014.

Além disso, reivindicam os professores a implantação de critério utilizado pelo MEC para atualizar o piso nacional da educação, baseado no custo aluno aferido nos dois últimos anos, 2012 que foi R$ 1.867,15 e 2013 de R$2.022,51, entre os quais se verificou o percentual de crescimento nos valores de 8,32%, quando, em verdade o crescimento real teria sido de 19%. O que mesmo representando uma perda salarial para os profissionais da educação e ganho real para as finanças do município, ainda, assim, o gestor se recursa a seguir a orientação do MEC.

Conforme a CNTE, o MEC age fora da legalidade, a fim de contemplar prefeitos e governadores de estado que alegam não disporem de recursos para cumprir a lei do piso nacional de salários, fundamentando o reajuste dos salários dos professores em percentuais de crescimento menores do que o previsto oficialmente.

Por: Adão Lima de Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *